quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

No fim

naquele outono havia riso nas almofadas e as palavras aconteciam-me como acidentes. tu eras uma felicidade vibrátil que pungia no meu espírito e eu era uma tristeza porosa que dançava sobre o teu corpo. as nuvens escondiam-se ao nosso abraço e os nossos cabelos ardiam e provocavam incêndios dentro de casa. eu atravessava os aros em chamas, como os grandes felinos amestrados no circo. e tu engolias o lume dos livros e das colheres de pau.
de madrugada a lua aninhava-se sobre o telhado para nos espiar o desejo entre as frinchas, espreguiçando-se languidamente na penumbra fria da cerâmica vermelha.
ao nascer do sol eu subia as persianas e tu dobravas os pijamas e a intimidade em gestos desenvoltos, de canto do olho no relógio e perfume no colo.
depois calçavas as botas, abrias a porta e voavas.

mas eu podia ver-te pelo dia adentro, presa às minhas pupilas, a rasgar o céu numa túnica de musgo, entre as folhas amarelas e o fumo das castanhas.
naquele outono a vida era um brinquedo novo a cada manhã e as noites não tinham recantos sombrios como os jardins barrocos.
ao fim da tarde tu chegavas-me em alegria e vestias-me de beijos.
e eu recebia-te como ao ar, numa naturalidade inteira, com todas as velhas mágoas embrulhadas numa trouxa, debaixo da cama.
oiço cânticos dentro de mim, dizias.
sou eu que em ti canto, dizia eu.
e oferecia-te mais um poema para enrolares nos braços, junto aos outros, naquela caligrafia ornamental de que te orgulhavas.
e ficavas.

e ficaste.
até gastares todos os beijos. até eu te perder nas minhas pupilas.
até entregarmos o amor ao inverno.

e a poesia acabou.

4 comentários:

Arianne, H. disse...

É bom voltar às histórias, como nos habituaste.Gostei muito.

TL disse...

berta, berta, de cem mil amores
berta, berta, de tanto coração
tu és-me de bom cheiro, como as flores,
ola-ri-lo-li, ola-ri-lo-lão.

:), vá, podes rir.
de tudo o que escrevo, por tudo o que sou, tenho sempre perdão. :)

beijo, abraço, sorriso, comigo.

Druiel disse...

é sempre um prazer beber emoções neste blog.

Bjs
Druiel

lamia disse...

Desfila uma certa nostalgia de braço dado com estas palavras deliciosas-

Um dos melhores, aos meus olhos, sem dúvida.