terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Agora

nos teus olhos certeza, nos teus gestos hesitação.
na tua sombra breves passos, na tua carne o longo silêncio do tempo a passar.
no teu estômago nós marinheiros, no teu coração raízes vermelhas sem terra onde crescer. na tua pele um redondo agasalho, na tua boca um vértice de razão.
na tua viagem o meu destino, no teu espelho a estrada para um sonho meu.
chegas e paras. bates à porta com os nós dos dedos, de joelhos trémulos e pose teatral, à beira da acção.
deixa-me entrar, dizes.
agora, digo eu.
à poeira táctil do nossos abraço lanço então o meu medo. calor e frio entrelaçam-se, tão íntimos como os nossos membros despidos.
e nesta cruel harmonia, que em minutos se apaga como tudo o que é perfeito, refreio-te o pensamento e vejo-o planar em redor dos meus ombros, desligado de ti mas ainda verbal, frágil como uma lágrima oculta, lírico como um tumulto justo, espreitando as palavras que não profiro.
em ti me escrevo agora na caligrafia da música. o meu poema avança sobre ti numa cicatriz operática, enredo em quatro actos ornamentado a linhas de seda e árias sem refrão.
até que o pano caia, as tuas sábias mãos hão-de inventar-me em flores resplandecentes e renascer-me em cascatas de veludo.
e quando estalar a ovação estaremos já num âmago só nosso, nem meu nem teu, uma entidade nova, tão privada e interior como a linfa e a ilusão.
e será agora. a unidade no instante concreto do amor.
ópera em filigrana.

4 comentários:

Anónimo disse...

Só para agradecer a sensação que me percorreu o corpo ao ler o seu post.
Não posso dizer que a senti (a escrita) segura mas confesso que me fez pensar.
Muito boa (a sensação).
Muito obrigada!

Spectrum disse...

Gostaria de assistir à peça tão finamente trabalhada.
Grato por este momento de rara beleza.

Berta Cem Mil disse...

Cara Anónima: sempre às ordens; ainda bem que consegui estimular os seus pensamentos e sensações. volte sempre que lhe apetecer.

Caro Spectrum: talvez um dia seja meu convidado de honra neste teatro...
e obrigada pela assiduidade das suas visitas.

tês disse...

eu sei lá manisfestar um elogio de tamanho grande muito grande.
ai eu sei lá.

mas fica a intenção. :)

tês